AS Notícias Online Barra Serviços e Manutenções
HOME ESPORTE GERAL POLÍCIA POLÍTICA EMPREGOS MULHERES AGENDA COLUNISTAS FOTOS VÍDEOS CONTATO
Boa madrugada - Itabira, segunda, 17 de dezembro de 2018 Hora: 01:12 20 ºC
Velocidade do vento: 11.27 km/h
Nascer do Sol: 6:10 am e pôr do Sol: 7:28 pm

COLUNISTAS
Marcos Gabiroba e a crônica da semana “Eleições deste ano: previsões sombrias”
24/09/2018

Estamos há exatos quinze dias para a escolha de novo presidente da república, governador, deputado federal, estadual e senadores, já pensaram nisso? O badalar dos discursos pelos canais de tvs, rádios, jornais e revistas são os mais miraculosos que se possa imaginar. Cada candidato tem a sua solução para a situação caótica que o país, o estado e os municípios vivem. Especialmente os municípios sempre de pires na mão a choramingarem verbas e mais verbas para a solução de seus problemas, enquanto todos os candidatos rolam e ralam em verbas extraordinárias para suas eleições e reeleições: um bi e seiscentos milhões de reais.

Neste país “grande e bobo” em que vivemos, enquanto não houver uma reforma geral, na Educação, esta, em primeiro lugar e todos as demais que o país necessita, não tem jeito, nem conserto: tudo continuará como Dante no quartel de Abranches. Reforma Administrativa, Tributária, da Previdência, na Saúde que está num caos jamais imaginável, na Segurança Pública, um terror da e na sociedade, na Política e Eleitoral principalmente, e, em especial, a reforma do ser humano num todo. Enquanto prevalecerem os princípios vigentes, salvo melhor juízo, não adianta eleger ninguém.

A coisa tá feia meu irmão, em quem votar?

Os discursos pelas reformas são tão cediços e enfadonhos quanto as músicas modernas apresentadas nas tvs e rádios; depois de impressionar pelos primeiros acordes repetem com insistência desusada o tema musical até à exaustão do ouvinte, não é mesmo? O governo, as lideranças políticas e até mesmo o atual presidente da república insistem na temática das reformas que ele tentou implantar e não conseguiu porque estava envolvido até o pescoço nas bandalheiras, roubos e falcatruas existentes em si e ao seu redor.

A verdade é que o Brasil, nosso Estado e nosso município estão necessitados, urgentemente de todas as reformas, em especial a reforma política, esta a mãe de todas as demais.

Acabar de uma vez por todas com a reeleição de presidente é a principal das reformas.

Acabar também com reeleições indefinidas de deputados, senadores e a ditadura dos ministérios, assim como os incontáveis números de partidos políticos de merda sem dúvida alguma, seria um ótimo remédio para nossa democracia e nosso país, com certeza tomará outros rumos da e para a decência. Proibir o carreirismo na política, tais como: pai deputado federal, filho(a) estadual; senador candidato, filho(a) seu suplente e assim por diante. Aliás, no meu modesto entendimento na democracia brasileira deveria ser extinto, de uma vez por todas esta função de senador da república. São eles, os senadores, velhas e conhecidas raposas tomando conta do galinheiro, há anos. Deputados estaduais e federais só deveriam candidatar à reeleição somente por três vezes e afastarem definitivamente da política, assim como em todos os demais cargos eletivos existentes, principalmente, o cargo decorativo de vice. Os partidos políticos que sempre têm suas entranhas expostas, nas quais há muito anos foram identificadas por serem eles meros cartórios de registro eleitoral, sem nenhuma identidade, programa ou fidelidade aos princípios democráticos a não ser capazes de assegurarem um mínimo de coesão interna pra que existam. Só são identificados para sustentarem políticos bandidos e aproveitadores dos cofres públicos com nosso suado dinheiro que ganhamos após longos anos de trabalho e ainda pagando altos impostos, estes escorchantes, que nos são impostos, não é mesmo? Que belo país é esse!

A insolvência moral escancarada por todos os políticos que ainda detêm mandato, ora envolvidos na Lava Jato ou em processos criminais pela corrupção que praticaram são o estandarte de suas campanhas da atualidade. Quase ninguém escapa dessa nódoa estampada em seus currículos e vida política. Pensem nisso.

Urge, pois, executarmos uma reforma geral, primeiramente nos livrando desses incautos políticos e nos homens que se vestem de cordeiro, mas são vorazes lobos tomando conta do galinheiro. E, pensem: nas eleições deste ano, todos eles ou quase todos são candidatos à reeleição e não passam de serem vorazes lobos para que seus privilégios continuem ao “status quo”, isto é, a mesma coisa de sempre.. Também, pensem nisso.

É de nosso conhecimento, por experiências anteriores que existem grandes dificuldades para a implantação de uma reforma política de que o Brasil necessita, a começar pela posição do Partido que durante 13 anos governou e quebrou o Estado brasileiro. Nada há de melhor para partidos de formação ideológica e revolucionária do que o voto de cabresto como antigamente. No usufruto desta anomalia que atrasa o País num todo e coloca dissonância com os países mais avançados, este partido e os seus seguidores trabalham com inegável competência para o lado do mal e do “companheirismo”, onde ninguém sabe de nada e os cofres públicos vão à bancarrota da desgraça pública. Já imaginaram o que será deste país “grande e bobo” se o Hadad for o eleito, sob as sombras do lulismo? Pensem nisso gente. A hora é de transformação. De mudança séria e pragmática. De reforma em todos os aspectos, mas esta só poderá acontecer se você souber votar com consciência, convicção e muito desprendimento, sem vínculos com os falsos profetas e salvadores da Pátria. Pensem nisso. A hora é agora. Não deixe para depois sua decisão. “Não faça do seu voto uma arma, a vítima pode ser você”. Experiência bastante já tivemos. O presente é de mudança. O futuro a Deus pertence, mas o voto consciente é agora. Tenho dito.








INFORMAÇÃO COM RESPONSABILIDADE! Whatsapp: (31) 9 8863-6430
E-mail: contato@asnoticiasonline.com.br
AS Notícias Online 2018. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvedor: SITE OURO

Copyright © 2017 - AS Notícias Online - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.